Crónica Belenenses - Sporting: Alma Azul, sorte...de outra cor

O Belenenses perdeu hoje por 3-4 com o Sporting de uma forma bastante infeliz e injusta, tendo em conta as incidências do jogo e a grande atitude da nossa equipa.
Na verdade, num jogo muito e bem disputado, qualquer dos conjuntos podia ter ganho; mas a forma como sofremos o 3-4 no penúltimo minuto, num lance azarado de Zé Carlos (ele que tão bem este no resto do jogo), é bastante cruel e imerecida.
Do Sporting, diremos o óbvio: que é uma equipa muito forte, com um plantel recheadíssimo e um trabalho de dois anos. E isto basta, porque não faltarão espaços na imprensa chamada independente para falar do nosso opositor de hoje.
Concentremo-nos, pois, no Belenenses. A nossa equipa mostrou-se muito bem trabalhada - nesta corrida contra o tempo de um grupo que se reuniu na 23ª hora - e tacticamente magnífica.
Passada alguns momentos de certo nervosismo, os nossos jogadores foram crescendo, tornaram-se cada vez mais ameaçadores e acabaram por abrir o activo, num grande golo de Drula, a fazer explodir de alegria o Pavilhão Acácio Rosa.
Ainda mais confiante, apesar da reacção contrária, e de uma dupla arbitragem integrada pelo Sr. Clemente (o que já diz muito, se não tudo), a equipa de Belém chegou a 2-0, com outro golo espectacular, desta vez de Daniel. Pena foi que, logo a seguir, o Sporting reduzisse para 2-1, resultado com que se atingiu o intervalo.
A segunda parte não começou bem para nós (embora desperdiçássemos oportunidade soberana para fazer 3-1) e aos 4m de jogo os de verde-branco tinham virado o jogo para 3-2 a seu favor.
Mas quem esperava que a nossa equipa se deixasse ir abaixo, enganou-se. Não. O belenenses recompôs-se, voltou a acreditar, porfiou e, a 6m30s do final, chegou ao empate, por intermédio de Simas, na irrepreensível de uma grande penalidade óbvia.
O jogo estava extremamente equilibrado e sentia-se que podia "cair" para qualquer dos lados. Entretanto, a 1m50s do final, o empate parecia bem provável, quando houve o tal lance de grande infortúnio...
A arbitragem, sem influência directa no marcador, condicionou porém o jogo, com uma evidente dualidade de critérios na marcação de faltas. Enfim, "não há nada de novo debaixo do Sol"...

Marcha do marcador:
06m, 1-0, Drula
15m, 2-0, Daniel
15m, 2-1
23m, 2-2
24m, 2-3
34m, 3-3, Simas
39m, 3-4

A maneira como se trabalha no Restelo, recomeçando do zero, a atitude da equipa em todos os desafios, e mormente neste jogo, merecem que se lhe continue a dar todo o apoio. É isso que esperamos e pedimos já na próxima 4ª feira (no feriado do 5 de Outubro), na visita à equipa de Santo António dos Cavaleiros - o AMSAC. E a sorte não nos será sempre madrasta!

Crónica